quinta-feira, 25 de abril de 2013

Bem de levinho, a Microfisioterapia vai resolvendo problemas físicos e emocionais


>







A Viviane me explicou direitinho como funciona a Microfisioterapia: “Tudo que acontece em nossa vida fica gravado em nosso corpo, seja uma simples torção no pé ou um problema emocional maior, como uma grande perda, por exemplo. A Microfisioterapia vai buscando esses inprints no corpo, na nossa memória celular, através de pequenas palpações e toques, identificando o que ocorreu e quando aconteceu. E o tratamento é feito logo em seguida, trabalhando, sempre com pequenos toques, pressões e rotações feitas com as duas mãos, a área onde está localizada a origem da desordem e a memória do evento”.

Bom, na teoria entendi tudo mas na prática… Então, como faço sempre, pedi que a Viviane colocasse a teoria na prática. E partimos para uma sessão.

Gente, a Microfisioterapia é muito interessante: a Viviane vai tocando algumas regiões do meu corpo e começa a falar: “No segundo mês de gestação, sua mãe teve algum problema e você ‘guardou’ o registro. No segundo e quarto meses de vida também você teve alguns probleminhas em função de problemas de saúde de sua mãe. Bom, até aí não posso dizer nada porque não lembro.

E ela prossegue: “Depois em 1971 também houve alguma coisa com você que está marcada no seu corpo (também não consegui identificar na hora nem até agora). E depois outros eventos mais sérios ocorreram em 1981, em 1983, em 1986 e em 1996″.

A Viviane foi dizendo isso bem mais devagar do que estou escrevendo, mas acho que devo ter começado a abrir a boca de espanto., desde que ela citou o ano de 1981. Porque aí bateu tudo. Como é que pode, pensei cá comigo. Nossas mãos são antenas maravilhosas, como dizia Mestre Choa Kok Sui, da Cura Prânica, e têm uma enorme capacidade de cura (e penso também: Por que será que os médicos usam cada vez menos suas mãos para sentir como estão seus pacientes?)

Mais explicações

Viviane Ramos de Toledo Rocha fez o curso de Microfisioterapia em 2005, logo após se formar na Fisioterapia tradicional. E trabalha direto com a técnica desde que completou o curso, atendendo em Lins, Birigui, São Paulo e Marília. “Claro que também utilizamos a Fisioterapia tradicional e indicamos a Medicina ortodoxa em diversos casos. Por exemplo, tratei um parente que tinha problemas nos dois joelhos. Num deles, a Microfisioterapia resolveu o problema, no outro, não, e ele teve que fazer uma cirurgia. E a semana passada atendi uma pessoa que quebrou o nariz numa queda. Com a Micro, ele já melhorou bastante a respiração e o nariz voltou um pouquinho para o lugar, mas provavelmente ele terá que fazer uma cirurgia para resolver o problema totalmente”.

A técnica foi desenvolvida por dois fisioterapeutas franceses, Patrice Benini e Daniel Grosjean, na década de 80, com base no seguintes conceitos: “Todos os seres vivos são concebidos para reagir às agressões sofridas (resfriados, acidentes, perdas de familiares, viroses, enfim todo tipo de agressão física e/ou emocional), mas, quando essas agressões ultrapassam o limiar de defesa do organismo, a vitalidade dos tecidos é alterada e surgem as várias doenças. Através da Microfisioterapia é possível restabelecer o equilíbrio do organismo, restaurando a vitalidade dos tecidos do corpo que foram afetados por algum trauma – seja uma torção, uma infecção por vírus, toxicidade, choque e/ou trauma emocional, recente ou congênito.

“A terapia se baseia na descoberta de que todos os tecidos do corpo, do epitelial (pele) ao nervoso, guardam a memória dos traumas físicos, químicos e psíquicos que sofreram em qualquer fase da vida.A partir dessas inscrições no corpo, podemos reencontrar e datar os acontecimentos que iniciaram o processo de desorganizar um tecido ou um órgão, provocando o desenvolvimento de doenças. Este diagnóstico é feito por meio de micropalpações na derme e na epiderme.A ação do terapeuta é realizar, no tecido palpado, atos que simulem, em micro escala, a origem do trauma e despertem os mecanismos de autocorreção. É semelhante à ação de uma vacina que inocula o vírus em pequena quantidade, que não causa a doença, mas faz o organismo produzir anticorpos, ou como a diluição de um remédio homeopático. A função do Microfisioterapeuta é como a de umfaxineiro que limpa as informações negativas que o organismo guardou na memória corporal por anos e anos.E ela se baseia na Embriologia e na Física Quântica”.

Outra coisa interessante da técnica: as sessões são feitas a cada dois meses, porque a terapia pretende ativar a capacidade natural do corpo de se autocurar, e o corpo não tem a pressa que nós temos para resolver os problemas de saúde (até porque ele se preocupa em resolver o problema, não os sintomas). E cada sessão demora em média 40 minutos. “Às vezes, complementa Viviane, o problema se resolve em uma sessão apenas, às vezes leva um ano. Que parece um tempo longo, mas significa 6 ou 7 sessões, apenas.

Serviço: Para mais informações, veja o site www.microfisioterapia.com.br ou envie e-mail para draviviane@microfisioterapia.com.br

Você conhece o nosso Drive Virtual de Conteúdo? Clique aqui e conheça!

Comente:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comment

facebook

Outros Posts de Terapia Manual


Receba no seu Email:

Todos os posts deste blog