quinta-feira, 11 de abril de 2013

O programa de 10 pontos do Halliwick


>





O programa dos 10 pontos fornece a base para o trabalho prático trazendo os fundamentos do Conceito Halliwick de forma lógica, fácil de seguir e bem estruturada. Os estímulos pelos quais os participantes são submetidos estão divididos em 3 fases:

● Adaptação mental: Quando o participante torna-se capaz de responder com flexibilidade aos diferentes ambientes, situações ou tarefas.

● Controle do equilíbrio: Quando o participante adquire habilidade para manter ou mudar a posição do corpo na água, de forma controlada.

● Movimentos: Quando o participante cria ou solicita movimentos para realizar determinada tarefa com eficiência e habilidade, através da organização mental e controle corporal.
*Estes três conceitos são componentes essenciais para o aprendizado motor.

O Programa de Dez Pontos

O programa de 10 Pontos foi desenvolvido por James MacMillan para o ensino geral da natação. Esta é a base de todo o Conceito Halliwick.

Os 10 Pontos seguem uma seqüência lógica de padrões. O domínio de todos eles resulta na formação de um nadador realmente confiante e feliz na água.

Ponto 1 - Adaptação Mental

Como criaturas de hábitos terrestres, ajustados à gravidade, precisamos nos adaptar às diferentes experiências de flutuar e ao empuxo da água.

Existem outras áreas que exigem adaptação:

a) Superar preconceitos relacionados com as habilidades na água.
b) Despir-se em um ambiente estranho, como o vestiário.
c) Habituar-se ao contato físico com as pessoas, que no início pode ser totalmente desconhecido.
d) Habituar-se aos sons que ecoam nos ambientes da piscina e aos reflexos da luz sobre um grande espaço aquático.
e) Habituar-se à comunicação dificultada por olhos molhados, ouvidos com água e à desconcentração motivada por ruídos de outros grupos de trabalho.

Há muitas indicações de que um nadador não está mentalmente adaptado:

a) Tensão demonstrada pelo nadador que agarra o instrutor;
b) O nadador mantém os olhos fechados;
c) O nadador mantém os ombros fora da água.
d) O nadador retém a respiração;
e) O nadador faz extensão do pescoço;
f) O nadador reluta em imergir o rosto.

O Método Halliwick destina-se à adaptação do nadador para que a confiança dentro da água seja adquirida.
É importante que o instrutor se certifique de que o nadador está adaptado a uma atividade, antes de progredir. À medida que cada estágio dos 10 Pontos for sendo introduzido, o nadador vai se deparando com a necessidade da adaptação mental.

Ponto 2 - Desligamento

Essa forma possibilita a independência física e mental de cada nadador e inclui vários desligamentos:
a) do contato físico, pela redução gradual do apoio recebido;
b) do contato visual, progredindo do apoio de frente para o apoio lateral (em círculo ou em linha) e depois, por trás;
c) de um instrutor, pelas freqüentes mudanças de parceiros;
d) de um Clube, se eventualmente o nadador mudar de uma associação para deficientes, a fim de juntar-se a competições e recreações em outras associações.

O “Desligamento” é um outro processo gradual que deverá estar superado quando da introdução de um novo estágio. É uma disciplina voltada tanto para o instrutor, quanto para o nadador.

Ponto 3 - Rotação Transversal (antiga Vertical)

É a habilidade de controlar qualquer rotação feita sobre o eixo fronto-transversal, como por exemplo, da posição deitado de costas, para a posição em pé.

Ponto 4 - Rotação Sagital

É a habilidade de controlar qualquer rotação feita sobre o eixo sagital transversal (antero-posterior), como por exemplo, passos laterais.

Ponto 5 - Rotação Longitudinal (antiga Lateral)

É a habilidade de controlar qualquer rotação feita sobre o eixo sagito-frontal (longitudinal) ou eixo da coluna, como por exemplo, decúbito dorsal para frontal e vice-versa.

Ponto 6 - Rotação Combinada

É a habilidade de controlar qualquer combinação de rotações, executando-as EM UM SÓ MOVIMENTO.
Quando o nadador domina esta rotação, ele já tem o controle de sua posição na água e pode alcançar, com segurança, uma posição para respirar.

Inicialmente, um nadador precisa aprender como frear um movimento rotatório indesejado e manter-se numa posição segura para respirar. A tendência de rolar pode ser causada pela turbulência da água, ou pela assimetria do corpo. Num estágio mais adiantado, o nadador aprende a iniciar o movimento e então, só vai rolar quando quiser.
Em todas as rotações, o nadador aprende a iniciar o movimento usando o controle da cabeça, depois utilizando o braço, a perna e os movimentos do corpo.

Ponto 7 - Empuxo

O nadador vai se conscientizar da flutuação de seu corpo na água. Ele perde o medo de afundar e vivencia a realidade de ser empurrado para cima (são poucas as pessoas afundam).

Neste momento pode-se dar continuidade ao trabalho, utilizando esta força a favor e contra. Neste estágio já é necessário ter um nível avançado de controle da respiração, automatizando o ato de exalar ao submergir e ir contra a pressão da água. É importante lembrar, que o empuxo diminui com a turbulência.

Usando toda a habilidade até aqui adquirida, o nadador é capaz de manter sua posição enquanto flutua, parado e relaxado.Experimentar diferentes posições do corpo facilita o aprendizado da flutuação em posições estáveis, bem como permite ao nadador obter uma posição segura para respirar. Para conseguirem manter esta posição contra a força da turbulência, os nadadores são treinados para fazer pequenos ajustes na posição do seu corpo. Obter Equilíbrio e Quietude depende de ter controle físico e mental. Quando o nadador está equilibrado, outras atividades podem ser realizadas com facilidade.

Ponto 8 - Equilíbrio e Quietude

Usando toda a habilidade até aqui adquirida, o nadador é capaz de manter sua posição enquanto flutua parado e relaxado. Experimentar diferentes posições do corpo facilita o aprendizado da flutuação em posições estáveis, bem como permite ao nadador obter uma posição segura para respirar. Para conseguirem manter esta posição contra a força da turbulência, os nadadores são treinados para fazer pequenos ajustes na posição do seu corpo. Obter Equilíbrio e Quietude depende de ter controle físico e mental. Quando o nadador está equilibrado, outras atividades podem ser realizadas com facilidade.

Ponto 9 - Turbulência e Deslize

O nadador em flutuação é puxado pela água, através da turbulência criada pelo instrutor. Não há contato físico entre eles e podemos comparar esta imagem a um filhote de pato flutuando na turbulência criada pelas patas de sua mãe. O nadador não faz movimentos propulsores nesta etapa, mas precisa estar capacitado a controlar qualquer tendência de rolar.

Ponto 10 - Progressão Simples e Nados Básicos

O primeiro movimento de propulsão, executado pelo nadador, é um movimento elementar da mão próxima ao corpo, no centro de equilíbrio, como por exemplo: remada. Mas também poderá ser feito pelas pernas, ou com o corpo.
No princípio, MAC (James Mac Millan) ensinou um nado similar ao velho nado de costas inglês, ou seja: o nadador, de costas, abrindo e deslizando os braços na superfície da água e, então, puxando-os na direção de seu corpo.
Adicionavam-se movimentos de pernas, se necessário.


Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Dicas para Profissionais:
  • Grupos de Whatsapp para Profissionais
  • Curso de Agulhamento a Seco (Dry Needling)
  • Curso - Aprenda Auriculoterapia
  • Curso - Aprenda Ventosaterapia

  • Comente:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Comment

    facebook

    Outros Posts de Terapia Manual


    Receba no seu Email:

    Todos os posts deste blog