segunda-feira, 20 de maio de 2013

Dor no pescoço ou cervicalgia: possíveis causas, sob a visão da osteopatia!


>





Cervicalgia ( cervical = pescoço, algia = dor) é um sintoma cada vez mais frequente na era da tecnologia. Além das causas intrínsecas como alterações degenerativas, osteoartrite, artrite reumatoide, uma das principais causas de dor no pescoço no adulto jovem,  é a má postura e o sedentarismo.

Posturas inadequadas no computador por horas a fio geram grande tensão na musculatura  dessa região, bem como nas vértebras,  suas articulações e ligamentos. Essa sobrecarga produz sintomas como rigidez, espasmos musculares, dor e muitas vezes dores de cabeça.

Com o tempo, a coluna cervical vai perdendo sua curvatura fisiológica e o disco intervertebral começa a ficar sobrecarregado, favorecendo os processos degenerativos e as hérnias de disco. As hérnias, além de dor, produzem formigamentos, diminuição da sensibilidade e da força muscular em membros superiores.

Os espasmos de músculos da região do pescoço ou da cintura escapular também podem produzir formigamentos e alterações neurovasculares em membros superiores.  Pontos de tensão (trigger points) que surgem nos músculos espasmados podem gerar dores referidas a distância na cabeça, na coluna torácica, na própria cervical e outras.

O stress emocional é um importante causador dessa tensão na região do pescoço e ombros. Além disso, também pode causar tensionamento exagerado da musculatura mastigatória , gerando alterações na ATM, dores de cabeça e pescoço.

Da coluna cervical emerge o nervo frênico, que chega até o diafragma e permite que ele se contraia. Algumas vísceras tem relação importante com o diafragma e consequentemente com esse nervo . Por isso, alterações viscerais ( hepáticas ou estomacais por exemplo), podem gerar sintomas em cervical e ombro .

Há também relações mecânicas da coluna cervical com outras articulações do corpo. Por isso qualquer alteração em outra região à distância pode refletir no equilíbrio muscular, fascial ou vertebral e afetar a cervical.

As cicatrizes são um outro fator importante a se considerar . Uma cicatriz após a retirada da tireóide por exemplo, ou até mesmo uma cicatriz de uma cirurgia de mama, podem gerar tensões anormais e aderências teciduais que resultam em restrição da mobilidade e dor.

Por isso é importante que se faça uma avaliação detalhada da postura, coluna e todos os sistemas , assim como de hábitos e rotina do paciente,  buscando assim a CAUSA das dores e sintomas. A avaliação é a principal e mais importante ferramenta da osteopatia e através dela são escolhidas as técnicas mais adequadas para cada caso a fim de devolver mobilidade, gerar conforto, alívio das dores e reequilíbrio da postura.

É importante ressaltar que o osteopata, pela sua formação , tem condições de identificar sinais que podem estar relacionados a doenças ou alterações que possam contra –indicar o tratamento local e assim assegurar a saúde do paciente e orientá-lo sobre a necessidade de procurar médico ou profissional mais adequado ao caso.

Lembre-se também que a prevenção é ainda o melhor caminho para uma vida saudável, livre de dores. Por isso procure praticar exercícios, se alimentar bem, cuidar da sua mente e da sua postura.

Fonte



Você conhece o nosso Drive Virtual de Conteúdo? Clique aqui e conheça!

Comente:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comment

facebook