segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Técnicas específicas de Kabat


>





As técnicas de PNF têm o objetivo de aumentar a força, a flexibilidade e a coordenação, com ênfase na facilitação de estados neuromusculares e estruturais idéias, bem como na reeducação seletiva de elementos motores individuais. Nesse momento, ocorre o processo de aprendizagem de cada movimento, reforçando pela repetição. Os contatos manuais, o pré-posicionamento do paciente e os comandos verbais são utilizados para iniciar o controlar os movimentos.

O paciente deve aprender as técnicas de PNF, desde a posição inicial até a final, por meio de instruções verbais e rápidas, ou por estímulos visuais e táteis. Alongamentos rápidos aplicados nos músculos, antes de qualquer contração, facilitam as respostas musculares de força mais intensa.
As técnicas de PNF são eficazes para facilitar os exames e os tratamentos das disfunções estruturais e neuromusculares. As disfunções estruturais afetam a capacidade do corpo para assumir e executar posturas e movimentos ideais. As disfunções neuromusculares (incapacidade para coordenar e executar movimentos com eficiência) resultam do uso repetitivo, anormal e estressante dos sistemas articulares e miofasciais, em geral, precipitando os sintomas e as disfunções estruturais.
As técnicas descritas são:

1.  Iniciação rítmica.
2.  Combinação de agonistas.
3.  Reversão de antagonistas:
a)                                    Reversão dinâmica de antagonistas:
b) Reversão de estabilizações.
c) Estabilização rítmica.
4.  Estiramento repetido (contrações repetidas):
a)                                    Estiramento repetido no inicio da amplitude.
b) Estiramento repetido através da amplitude.
5.  Contrair-relaxar.
6.  Manter-relaxar.

1. Iniciação rítmica
Movimentos rítmicos realizados através da amplitude desejada, iniciado por movimento passivo, progredindo até o movimento ativo resistido.
Objetivos:
·        Facilitar a iniciativa motora.
·        Melhorar a coordenação e a sensação do movimento.
·        Normalizar o ritmo do movimento, tanto por meio do aumento quanto da sua diminuição.
·        Ensinar o movimento.
·        Ajudar o paciente a relaxar

Indicações:
·        Dificuldades em iniciar o movimento.
·        Movimentos muito rápidos ou muito lentos.
·        Movimentos incoordenados ou sem ritmo.
·        Tensão geral.

Descrição:
·        O terapeuta inicia o movimento passivamente o paciente através da amplitude de movimento utilizando a velocidade e o comando verbal para dar o ritmo.
·        O paciente é solicitado a iniciar o trabalho ativamente na direção desejada. O retorno do movimento é realizado pelo terapeuta.
·        O terapeuta resiste ao movimento ativo mantendo o ritmo com o comando verbal.

2.  Combinação de Isotônicas
Contrações concêntricas, excêntricas e mantidas de um grupo muscular sem relaxamento.
Objetivos:
·        Aumentar o controle ativo do movimento.
·        Melhorar a coordenação.
·        Aumentar a amplitude ativa do movimento.
·        Aumentar a força muscular.
·        Treinar o controle excêntrico funcional do movimento.

Indicações:
·        Diminuição do controle excêntrico.
·        Perda da coordenação ou da capacidade de se mover na direção desejada.
·        Diminuição da amplitude de movimento ativa do movimento
·        Movimentação ativa precária no meio da amplitude.

Descrição:
·        O terapeuta resiste ao movimento ativo do paciente por meio da amplitude de movimento.
·        No final do movimento, o terapeuta solicita ao paciente que mantenha a posição.
·        Quando a estabilização é alcançada, o terapeuta diz ao paciente para permitir que o membro seja movido vagarosamente para trás, em direção a posição inicial

3. Reversão de antagonistas

Alternância do movimento ativo de uma direção a oposta, sem                interrupção ou relaxamento.

Objetivos:
·        Aumentar a amplitude ativa do movimento;
·        Aumentar a força muscular; desenvolver coordenação;
·        Prevenir ou reduzir a fadiga.
·        
Indicações:
·        Fraqueza do músculo agonista;
·        Diminuição da capacidade de modificar a direção do movimento;
·        Aparecimento da fadiga durante o exercício.
·        
Descrição:
·        Resistir o movimento em uma determinada direção;
·        No final da amplitude o terapeuta inverte o contato manual na região dista;
·        Quando o paciente atinge o final da amplitude o terapeuta dá o comando para a inversão da direção e muda seu contato proximal para aplicar resistência;

4. Reversão de estabilização (manutenção alternada)

Contrações isotônicas alternadas, com resistência oposta suficiente para prevenir o movimento.

Objetivos:
·        Aumentar a estabilidade e o equilíbrio
·        Aumentar a força muscular

Indicações:
·        Diminuição da estabilidade
·        Fraqueza muscular
·        Inabilidade em realizar contrações isométricas.

Descrição:
·        O paciente se opõe a força exercida pelo terapeuta;
·        Quando o paciente resiste ao máximo à força, o terapeuta move uma das mãos e começa a aplicar resistência em outra direção.

5.  Estabilização rítmica

Contrações isométricas alternadas contra uma resistência sem intenção de realizar movimento.

Objetivos:
·        Aumentar a amplitude ativa e passiva do movimento;
·        Aumentar a força muscular;
·        Aumentar a estabilidade e o equilíbrio;
·        Diminuir dor.

Indicação:
·        Diminuição da amplitude de movimento;
·        Dor em movimento.
·        Instabilidade articular;
·        Fraqueza de grupos musculares antagonistas;
·        Diminuição do equilíbrio.

Contra-indicação:
·        Envolvimento cerebelar;
·        Pacientes incapazes de seguir instruções

Descrição:
·        O terapeuta resiste a uma contração isométrica de um grupo muscular agonista. O paciente mantém a posição sem tentar mover;
·        A resistência é gradualmente aumentada a força do paciente;
·        Ao chegar ao potencial máximo do paciente o terapeuta move uma das mãos para resistir a parte distal do movimento antagonista.


6.  Estiramento repetitivo (contrações repetidas)

6.2.    Estiramento repetido no inicio da amplitude

Reflexo de estiramento provocado por músculos sob tensão de alongamento.

Objetivos:
·        Facilitar a iniciativa motora;
·        Aumentar a amplitude de movimento ativo;
·        Aumentar a força muscular;
·        Prevenir ou reduzir a fadiga;
·        Guiar o movimento na direção desejada;

Indicações:
·        Fraqueza muscular;
·        Inabilidade em iniciar o movimento devido à fraqueza ou rigidez;
·        Fadiga;
·        Diminuição da consciência do movimento.

Contra-indicação:
·        Instabilidade articular;
·        Dor;
·        Ossos instáveis devido a fratura e osteoporose;
·        Lesões musculares ou tendões.

Descrição:
·        O terapeuta dá um comando preparatório, enquanto alonga completamente todos os músculos de um padrão;
·        Um rápido e leve estiramento deve ser aplicado para acrescentar um alongamento e evocar a resposta reflexa;
·        Ao mesmo tempo o terapeuta dá um comando para unir a tentativa voluntária de contração do paciente com resposta reflexa;
·        A contração muscular então é resistida.


6.3.    Estiramento Repetitivo Através da amplitude

O reflexo de estiramento provocado por músculos sob tensão de alongamento.

Objetivos:
·        Aumentar a amplitude ativa do movimento;
·        Aumentar a força muscular;
·        Prevenir ou reduzir a fadiga;
·        Guiar o movimento na direção desejada.

Indicações:
·        Fraqueza muscular;
·        Fadiga;
·        Diminuição da consciência do movimento desejado.

Contra-indicação:
·        Instabilidade;
·        Dor;
·        Ossos instáveis devido a fratura e osteoporose;
·        Lesões musculares ou tendões.

Descrição:
·        O terapeuta resiste a um padrão de movimento, mantendo assim todos os músculos em contração;
·        O terapeuta dá um comando preparatório para coordenar o reflexo de estiramento com uma nova e mais forte tentativa do paciente;
·        Ao mesmo tempo o terapeuta alonga levemente os músculos por meio de uma resistência em excesso aplicada momentaneamente;
·        Observa-se uma nova e mais eficaz contração muscular, que é resistida;
·        O estiramento deve ser retido para a força ou para redirecionar movimento, enquanto o paciente move-se por meio da amplitude;

6.4.    Contrair-relaxar

Contrações isotônicas resistidas dos músculos encurtados, seguidas de relaxamento e de movimento na amplitude adquirida.

Objetivos:
·        Aumentar a amplitude passiva do movimento.

Indicação:
·        Diminuição a amplitude passiva de movimento.

Descrição:
·        O terapeuta ou o paciente move a articulação até o final da sua amplitude passiva.
·        O paciente deve realizar uma forte contração do músculo encurtado;
·        Permite-se um pequeno movimento para se certificar que todos os músculos a serem trabalhados estão em contração;
·        Após aproximadamente 5 segundos o terapeuta diz ao paciente para relaxar;
·        A articulação então é reposicionada até o novo limite de amplitude passiva;
·        A técnica é repetida até que não ganhe mais amplitude;


6.5.    Manter relaxar

Contrações isométricas resistidas, seguida de relaxamento.


Objetivos:
·        Aumentar a amplitude passiva de movimento
·        Diminuir a dor
Indicações:
·        Diminuição da amplitude passiva do movimento;
·        Paciente muito forte para a força ser controlada pelo terapeuta;
·        Dor.

Contra-indicação:
Quando o paciente é incapaz de realizar contrações isométricas.

Descrição:
·        O terapeuta ou o paciente move a articulação até o final da sua amplitude passiva;
·        O paciente deve realizar uma forte contração do músculo encurtado;
·        A resistência é aumentada gradativamente;
·        Não há intensão de movimento;
·        Após aproximadamente 5 segundos o terapeuta diz ao paciente para relaxar;
·        A articulação então é reposicionada até o novo limite de amplitude passiva;
·        A técnica é repetida na nova amplitude;
·        No caso de dor o terapeuta pode aplicar nos músculos afetados pela dor ou em músculos distantes da área afetada. A resistência diminuirá gradativamente.


Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Dicas para Profissionais:
  • Grupos de Whatsapp para Profissionais
  • Curso de Agulhamento a Seco (Dry Needling)
  • Curso - Aprenda Auriculoterapia
  • Curso - Aprenda Ventosaterapia

  • Comente:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Comment

    facebook

    Outros Posts de Terapia Manual


    Receba no seu Email:

    Todos os posts deste blog