sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Terapia manual e Hérnia de Disco


>






A Hérnia de disco nada mais é que uma alteração do posicionamento do disco intervertebral, associado ou não a osteoartroses, espondilites, listeses, etc.

Esta alteração do posicionamento do disco intervertebral pode ocorrer por traumas, excesso de sobrecarga por parte do individuo, e na maior parte das vezes são um conjunto de fatores, como:
1) Excesso de sobrecarga no dia-a-dia;
2) Alterações Posturais e manutenção da postura por longos períodos;
3) Sedentarismo e/ou falta de atividade física compensatória;
4) Stress Físico e psicoemocional;
5) Sobrepeso (Acima de 15-20% do peso corporal normal) etc.


Uma das grandes dificuldades que nós Fisioterapeutas temos hoje em dia na abordagem ao paciente é desmistificar que o diagnóstico recebido (Hérnia de Disco e/ou Artrose etc) não é uma sentença de dores até o final de suas vidas. È perfeitamente provável e aceitável que com um tratamento Fisioterapêutico especializado e mudanças Biopsicossociais no dia-a-dia da pessoa, os sintomas sejam aliviados e a rotina volte aos tempos de liberdade, mobilidade e ausência de queixas.

Nesta abordagem o foco são as alterações de movimento e as sobrecargas externas relacionadas as atividades de cada pessoa, pois sabemos que o simples fato de ter uma Hérnia de Disco ou Artrose não é fator decisivo para se relatar dores. Não buscamos tratar uma Hérnia de disco e sim o paciente como um todo. 
O tratamento num primeiro momento é baseado em Terapias Manuais (Osteopatia, RPG etc), associado com Estabilização e Controle motor dos movimentos corporais e desenvolvimento e ganho muscular para as atividades do dia-a-dia.

A Terapia Manual é uma técnica da fisioterapia que utiliza os movimentos do próprio paciente no alívio da dor e na recuperação da função. Ela usa como instrumento as mãos do fisioterapeuta, que estará trabalhando para tratar as disfunções, normalizar os tecidos, restabelecer a mobilidade articular e devolver saúde ao organismo.

A Terapia Manual classifica as algias da coluna em três diferentes categorias, veja quais são:

Síndrome Postural – é a deformação mecânica de origem postural que promove dor, devido os tecidos do redor dos segmentos da coluna estarem submetidos a estresses decorrente de má postura, sendo que neste caso, o tratamento tem como objetivo a correção e orientação postural;

Síndrome da Disfunção – os tecidos ao redor dos segmentos vertebrais apresentam-se encurtados ou fibrosados. Ao realizar um movimento normal, esses tecidos são submetidos a alongamento, gerando aumento de tensão e dor, neste caso o tratamento consiste no alongamento de partes moles através de pompagem (utilização apenas dos dedos do fisioterapeuta);

Síndrome do Desarranjo – ocorre uma desestruturação das superfícies articulares das vértebras. Pequena profusão do disco intervertebral pode provocar a limitação de movimentos e causar deformidades. o tratamento neste caso é aplicado à redução do disco, recuperação da função, prevenção e orientação postural.

Mas para que seja feito o tratamento correto através da Terapia Manual, ou em casos específicos que o fisioterapeuta opte por outro tipo de tratamento, até mesmo indicando um outro profissional ao paciente, é fundamental que ocorra uma avaliação completa, onde será possível diagnosticar o ponto da dor, ou pelo menos a provável causa.


Você conhece o nosso Drive Virtual de Conteúdo? Clique aqui e conheça!

Comente:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comment

facebook