segunda-feira, 19 de março de 2018

Terapias Manuais mais utilizadas por fisioterapeutas


>







Na terapia manual, o fisioterapeuta utiliza suas mãos para aplicar pressão ou tração sobre uma determinada estrutura (fáscia, músculo, articulação etc.), com o intuito de mobilizá-la a fim de diminuir a dor causada pelo espasmo (ou tensão) muscular ou por uma disfunção articular.

As bases fisiológicas e biomecânicas são fundamentais para o entendimento da Terapia Manual e de seus efeitos sobre o conjunto da unidade neuromusculoesquelética em disfunção. Um estudo fisiológico e biomecânico detalhado, baseado em evidências cientificas, explica melhor sobre a dor, a inflamação e a restrição da mobilidade estabelecida.

Dentre os principais benefícios ofertados pelas diversas técnicas manuais, podemos citar que elas: reduzem ou eliminam as dores musculares/articulares; diminuem as tensões musculares; promovem a lubrificação intra-articular; aumentam a flexibilidade dos tecidos conectivos (músculos, cápsulas, ligamentos, tendões); previnem contra bloqueios intra-articulares, entre outros.

O diagnóstico biomecânico e funcional é primordial para a Terapia Manual, pois permite o melhor direcionamento na escolha dos recursos terapêuticos manuais a serem empregados durante o tratamento. Ele se baseia em uma boa anamnese, a qual deverá identificar: o tipo de dor e sua localização; se existe irradiação da dor para um ou outro nível motor; e, ainda, a correlação da dor com os diferentes elementos de um metâmero (miótomo, dermátomo, esclerótomo, angiótomo, enterótomo etc.).

Veja algumas terapias mais utilizadas

Conceito Maitland

A abordagem de terapia manual do Fisioterapeuta G. Maitland surgiu na Austrália na década de 60, tendo se espalhado pelo resto do mundo, formando a base da Terapia Manual. O conceito é baseado em observações que surgiram como resultado de abordagens sistemáticas durante o exame e tratamento dos sinais e sintomas presentes no paciente. O uso de mobilizações e manipulações articulares associados ao raciocínio clínico oferece respostas importantes na Terapia Manual.

Conceito Mulligan

O Conceito Mulligan é um método de Terapia Manual aplicável nas desordens neuro-músculo-esqueléticas, que consiste na aplicação de movimentos acessórios combinados com movimentos fisiológicos ativos. Brian Mulligan, Fisioterapeuta formado na Nova Zelândia em 1954, ainda na década de 60 teve contato com os principais nomes internacionais, tais como Stanley Paris, Kaltenborn, Maitland, Cyriax, Elvey e McKenzie. O Conceito Mulligan tem sido utilizado por Fisioterapeutas de todo o mundo e nos últimos anos, inúmeros artigos científicos comprovam a eficácia imediata em diversas situações clínicas.

Mobilização Neural

Desde a década de 70, perturbações do sistema neural deixaram de ser considerados critérios de exclusão e passaram a ser considerados na avaliação e conduta de tratamento. Na Mobilização Neural o comprometimento causado pela mecânica alterada na fisiologia do sistema nervoso, vem sendo desenvolvidos como conceitos na Terapia Manual por Elvey, Butler, Shaclock e Maitland, e tornou essencial nos dias de hoje, como abordagem específica nas lombociatalgias, cervicobraquialgias e síndromes compressivas periféricas e sua posterior integração com o controle motor.


terapia manual mobilização

Tape ou Bandagens Funcionais

Os objetivos de uso das bandagens funcionais em articulações de carga para analgesia, com efeitos imediatos e em longo prazo, permite iniciar mais rapidamente ao programa de exercícios terapêuticos. Sendo não invasivo e de baixo custo é considerado uma alternativa no controle da dor, complementar ao processo de recuperação dos movimentos e controle motor.

Método Mckenzie

O Método Mckenzie de Diagnóstico e Terapia Mecânica foi criado na década de 50 por Robin Mckenzie, Nova Zelândia, que consiste em uma abordagem abrangente da coluna e articulações periféricas, levando a um diagnóstico mecânico preciso a partir da história do comportamento da dor, e desta resposta aos testes de movimentos repetidos e posições mantidas. Aplicando uma progressão sistemática, o Fisioterapeuta utiliza recursos como mobilizações articulares e exercícios específicos em variadas direções, e dentre elas, os exercícios em extensão para lombociatalgia, são os mais famosos.

Diafibrólise Percutânea (Crochetagem)

A técnica foi desenvolvida pelo fisioterapeuta sueco Kurt Ekman, que trabalhou ao lado do Dr. James Cyriax nas massagens transversas profundas, e posteriormente Duby e Burnotte com uma abordagem mais suave, através da diafibrólise percutânea. A Crochetagem é um método de tratamento das dores mecânicas do aparelho locomotor, através de ganchos colocados e mobilizados sobre a pele, nas aderências cicatriciais, fibroses dos tecidos mio-aponeuróticos, epicondilites e tendinites. Seus resultados fizeram deste método um recurso indispensável em diversos tratamentos das desordens do sistema musculoesquelético.



Você conhece o nosso Drive Virtual de Conteúdo? Clique aqui e conheça!

Comente:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comment

facebook